Muitos Amigos e Companheiros têm reclamado que gostariam de conhecer minhas opiniões sobre os assuntos do dia-a-dia, sobre as matérias dos noticiários, etc. Sempre ignorei tais instâncias porque, em primeiro lugar, pouca importância dou ao que a imprensa burguesa veicula, e, segundo, não entendo a relevância da opinião pessoal de um indivíduo que nunca se notabilizou em coisa alguma e que é o famoso “lustre desconhecido”. Mas, de uns tempos a esta parte, as solicitações estão se tornando mais constantes e algumas até raiando a impertinência, então, resolvi atender ao pedido. Todavia, posso adiantar que, para a decepção geral, minhas opiniões, via de regra, discordam da opinião dominante, são politicamente ultra incorretas e chocarão certamente a sensibilidade burguesa.

sábado, 27 de abril de 2013

O MENINO DE OURO DO TRANSPORTE COLETIVO


Alguns Amigos e Companheiros têm solicitado minha opinião sobre o episódio da Coréia do Norte, porém, exercendo plenamente meu direito de velho rabugento vou tratar de outro assunto.
O pior Prefeito da História do Rio de Janeiro, o sr. Eduardo Paes, não satisfeito em reduzir a frota de ônibus, proibiu as vans na Zona Sul. A desculpa para a desastrosa decisão foi a brutalidade praticada contra dois gringos numa van clandestina. Ora, o Prefeito, talvez por alguma experiência pessoal, portou-se como aquele marido traído da anedota, mandou jogar fora o sofá... Infelizmente, milhares de assaltos, estupros e outras violências ocorrem no Rio de Janeiro, e os três criminosos que abusaram do casal de turistas iriam cometer aquele delito ou coisa pior, com ou sem van, portanto, a retirada das vans de circulação não contribuirá em nada para a diminuição da criminalidade na Cidade, e só mesmo uma besta quadrada como o nosso Prefeito pode pensar o contrário.
Agora, a pergunta crucial: A quem interessa o crime? E o crime a que estou me referindo não é o que ocorreu na van, mas, a proibição do transporte alternativo na Zona Sul da Cidade Maravilhosa.
Todos os usuários prejudicados com a atitude atrabiliária do sr. Paes, evidentemente, terão que continuar se transportando, e na sua imensa maioria certamente optarão pelas já superlotadas linhas de ônibus, ou seja, da noite para o dia, o cartel que controla o transporte coletivo passou a receber milhões de reais a mais do que auferira até Março último.  E se lembrarmos de que a partir do ano passado, “Sua Excelência” implantou os tais BRT e BRS, corredores exclusivos para o trafego de ônibus, que, supostamente, tornariam os percursos mais rápidos e, por consequência, permitiram a diminuição dos ônibus em circulação, com substancial diminuição de custos operacionais para as empresas, sem queda de receita, pois, os mesmos passageiros continuam viajando apinhados, com um tempo de viagem que não diminuiu ou em poucos casos não decresceu o suficiente para justificar ser transportado como sardinha numa lata; e, se, como última novidade, atentarmos que os motoristas em muitas linhas – e em breve, em todas – também, fazem às vezes de “trocadores” (com a demissão dos cobradores tornados desnecessários e concomitante economia de salários e obrigações trabalhistas); e  se ainda repararmos, finalmente, na “promessa” de que todos os ônibus urbanos terão refrigeração, o que “legitimará” mais um aumento de todas as passagens, ENTÃO, podemos concluir sem receio de erro ou exagero que, o sr. Eduardo Paes é o menino de ouro dos empresários do setor de “autocarros”.
Todas as vezes que precisava de dinheiro para suas campanhas, o ex-prefeito Cesar Maia desengavetava o Projeto do VLT – Veículo Leve sobre Trilhos -, o “bonde” moderno que de fato solucionaria o problema do transporte urbano na Cidade do Rio de Janeiro -, e, imediatamente, os “galegos” se alvoroçavam, e tão subitamente quanto fora desengavetado era novamente engavetado. Este tipo de pressão não interessa ao atual Prefeito, que tem pretensões políticas vastas e quer um apoio mais concreto e permanente, e já o conseguiu, é claro, na área dos transportes, não só na Cidade, mas, em todo o Estado, através da famigerada Fetranspor.
Que os meus Leitores não olvidem que são também ELEITORES, dando a resposta adequada a toda esta politicagem sórdida: Não votem em Eduardo Paes ou em qualquer Candidato que tenha o seu apoio.
Anauê!

sábado, 20 de abril de 2013

O MÁGICO NA RIBALTA

Esta semana o Mágico Valadares ganhou súbita notoriedade nacional por perder as estribeiras, dizendo alguns palavrões e mandando uma criança mal educada ficar quieta num “show”. Imediatamente, os Pais zelosos de todo o Brasil ficaram indignados. Os mesmos Pais e Mães que acham naturalíssimo o aborto, mas que ficam magoados quando crianças são chamadas de moleques por um adulto que perdeu a cabeça. Os mesmos Pais e Mães que acham graça quando os filhos dizem seus “primeiros” palavrões, mas que ficam horrorizados quando um adulto perde o controle e diz uns palavrões a crianças. Os mesmos Pais e Mães que não ensinam os seus filhos a ceder o lugar aos mais velhos nos transportes públicos, e que não admitem que se mande uma criança mal educada sentar e ficar quieta. Os mesmos Pais e Mães que não dão um pingo de educação e civilidade aos filhos, e que acham natural que os outros aturem esses futuros viciados em formação. Os mesmos Pais e Mães que fingem não enxergar ou, pior ainda, acham normal, que seus filhos estejam se efeminando e suas filhas se masculinizando, mas que se chocam quando um profissional levado ao extremo da irritação manda uma criança encapetada calar a boca. Bom, felizmente, eu e minha Esposa não pertencemos a tal gênero de Pais e, portanto, nunca passamos por tal vexame.

Sendo absolutamente sincero, se estivesse no lugar do tal Mágico, não diria os palavrões, mas, mandaria o moleque ficar quieto e daria um bom cascudo naquela peste dos infernos, digo, naquela doce criança... E, é claro, passaria uma descompostura nos Pais, afinal, como diz minha sábia Tia Mariana, a criança é o espelho dos Pais.

Anauê!